passarola quer voar: Abril 2007

segunda-feira, abril 30

Diz que ainda há convites...


...para quem divulgar o espectáculo "Matrioshka"...
Ou antes, havia... que eu devo ter acabado de ficar com o último eh! eh! eh! Anyway, o bilhete não é nada caro (5 euros), e pelo pouco que eu já espreitei dos Alcómicos, vale mesma a pena ir espreitar... é já no próximo fim de semana, No Teatro São Luíz, nos dias 3, 4 e 5 de Maio, pelas 23h30. Toca a ligar já para a bilheteira (Tel. 21 325 7650; Email: bilheteira.teatrosaoluiz@egeac.pt) antes que seja tarde demais.
E com este post inaugurei os posts postados (bela frase) do sítio das novelas... Isso e a radar a soar aqui do computador... e ainda ninguém nos mandou calar ;)

sábado, abril 28

Hoje é a festa de encerramento do Indie...

... E eu gosto tanto deste festival, da variedade, dos géneros, do ambiente, dos espaços, dos públicos, das energias......
Este ano não pude ver muito... mas não saio triste. Comecei com uma má escolha (Angel - François Ozone)... isto, porque tive de desistir do Fay Grim, que parece que estreia em Julho... mas de resto, não me arrependo do que vi.
Gostei do “The perverts guide to cinema” que, apesar de um bocado longo de mais (ou o povo anda todo a esticar-se, ou eu ando com pouco tempo disponível, ou ambas as hipóteses) é um documentário bem construído, com humor, com viagens por grandes filmes, com interpretações, umas com que concordo mais que outras. Gostava de o rever menos cansada.
E do que gostei mesmo, mesmo... o que valeu uma saída a correr a meio de um Shakespeare no Trindade (que também estava a gostar bastante, ao contrário do que estava à espera) em direcção ao Londres, ontem quase à meia noite, foi este documentário:
“A atitude é um pequeno detalhe que faz uma grande diferença. FILHOS DO TÉDIO leva-nos a redescobrir Coimbra. O documentário de Rodrigo Fernandes e Rita Alcaire conta-nos a história dos “Tédio Boys”, um grupo de jovens músicos que se tornaram um dos ex-libris da cidade dos estudantes. Através das vidas destes músicos aprendemos novos significados para velhos conceitos: vida nocturna, exagero, diversão, criatividade e música.”

mais um bocadinho de tédio boys, aqui

Quem não o apanhou, tem uma excelente oportunidade de o ver, no dia 4 de Maio no Music Box, dia do concerto número 100 dos d3o... Mas eu volto a falar nisso para a semana. Vão marcando na vossa agenda, que vai ser uma grande noite de rock&roll!!! Oh yeah babe!!

E não se esqueçam que amanhã ainda há sessões com os filmes premiados!! Eu vou!


segunda-feira, abril 23

Porque é que eu ouço a RADAR...

... Não me lembro de outra noite em que tenha dormido tão poucas horas, como de ontem para hoje, e de ter acordado tão bem disposta e com tanta energia... ainda por cima a uma segunda feira de manhã...

Mas, com um palco RADAR assim...





Não parei o dia todo... e ainda não sinto vontade de parar!!! :)
E vivam as noites de verão!!!

e não... não ouve qualquer actividade sexual ontem durante a noite... também pode produzir os mesmos efeitos, é um facto...

23 de Abril, dia 1

A parede que incorrectamente divide a minha futura sala ao meio, começa a vir abaixo daqui a umas horas!!!! Começam as obras na minha casa nova, começa a contagem decrescente para o regresso à minha vida!! Yupiiiiiiii..... já faltou mais...
Mas a espera, não vai ser fácil... embora tenha contratado um senhor muito generoso (e competente, que eu não brinco em serviço) que me prometeu que vai fazer tudo para que fique pronta dentro de um mês e meio... já se sabe como é que estas coisas funcionam.
Como prefiro ser agradavelmente surpreendida, que desagradavelmente desiludida... vou dar-lhe 68 dias e apontar para dia 1 de Julho, o dia em que entro, para ficar, na minha casa nova. :)
Como a minha mãe não me deixa fazer a contagem decrescente, com risquinhos na parede... descobri uma página online onde já comecei a contagem... Já está aí ao lado, mesmo por baixo das experiências vídeotas, para poderem sofrer comigo... :S
Daqui e até lá... que os meus superpoderes me protejam e que a vizinhança não me comece a odiar!!!

domingo, abril 22

Realidades

- Estão umas meias na casa-de-banho... Foste tu que as deixaste lá?
- Sim, são minhas!!!
- Tens a certeza?
- Sim... são as minhas meias de dormir...
- Ah, não são não!!... São minhas!! Gosto muito delas e estava farta das procurar!!
- Eh! Eh!... Pois é... foi uma noite que eu não trouxe as minhas e então fui à tua gaveta buscar...
- E não me podias ter pedido... ou mesmo devolvido, depois de usares?
- É que elas são tão jeitosinhas!!!
- Oh avó, assim não pode ser...

... e depois dizem-nos que devemos confiar nos mais velhos...

Etiquetas:

sábado, abril 21

Irrealidades

Vinha a subir a rua de S. Bento quando começou a chover torrencialmente. Os ténis, automaticamente encharcados. As calças molhadas coladas às pernas, a água fria a arrefecer o corpo, o saco de papel a desfazer-se no chão, a trovoada a explodir no céu...
Materializei-te à minha frente. Agarraste-me pela cintura, puxaste o meu corpo com força contra o teu, beijaste-me ainda com mais força e desapareceste no meu sorriso.
O resto da chuva, não sei como foi...

quinta-feira, abril 19

Impossible Is Nothing

Com uma campanha destas... os meus próximos ténis, só podem ser da Adidas.


Impossible Is Nothing - video powered by Metacafe

Clique aqui para ver a página onde está este vídeo no WikiDoido


Quero dar saltos muito altos, quero ver muito pequeninas as coisas e as pessoas de que não gosto!! Quero ver muito de perto, os meus sonhos, as coisas e as pessoas que admiro. :)

quarta-feira, abril 18

A experiência cerebral do dia: Inland Empire

O filme agarrou-me assim que começou e o meu cérebro desatou logo, a trabalhar que nem um louco... que é coisa que, dependendo das circunstâncias, eu até gosto. Recostei-me na cadeira, na fantástica sala 4 do Monumental (a única sala onde está em lx?) e durante a primeira meia hora/45 minutos, deixei-o (cérebro) levar-me pela sua primeira interpretação do filme... mesmo sabendo que não seria a última. Depois a primeira viragem e o cérebro sussurrou-me: “AAAhhhhhh!!! Era isso... faz sentido!!!” Mais meia hora e senti-o perdido... “afinal não era nada daquilo”... mas muito rápido, voltou a encontrar-se e deu-me mais uma ou duas interpretações possíveis... começou a ligar pistas, a associar personagens, situações... a interpretar códigos... a procurar argumentos para as suas interpretações...
O ponto de partida foi sempre o mesmo, a relação extra conjugal, a traição, as consequências... em espaços temporais e de consciência que se misturavam... o passado, o presente, o sonho, a realidade, a consciência ou não consciência dessa realidade.
Não estava a olhar para o relógio, mas foi uma experiência que passei com prazer durante, cerca de 2/3 do filme... A partir daí, começou tudo a ficar demasiado baralhado. Não só no filme, como no corpo... foi o estômago que se começou a queixar que tinha fome... “cala-te” – disse-lhe o cérebro a tentar concentrar-se... a bexiga que já queria ir à casa de banho... “aguenta-te”... e com tanta baralhação... às tantas... foi mesmo o pobre do cérebro que começou a ficar cansado... Durante uma boa meia-hora fiquei a desejar que o filme acabasse e confesso, que até me irritou um bocado esse looonngo cerca de 1/6 de filme... Depois voltou a prender-me nos cerca de últimos 15 minutos e quase que já não me levantava para sair.
Daqui a uns anos, depois de ver o filme mais uma boa meia dúzia de vezes, talvez perceba o sentido de todas as cenas que fazem o filme... hoje tinha-lhe retirado umas tantas que só serviram para me baralhar e cansar... mas talvez seja esse o objectivo do David Linch... não o cansar... mas o baralhar... ou talvez não tenha objectivo nenhum... foram ideias que foram surgindo, como explica aqui, e nós e os nossos cérebros é que têm esta estúpida necessidade de interpretar o que vêem... Como sempre, e mesmo filmadas em vídeo, adorei as ambiências David Linch, como sempre, adorei o surrealismo David Linch!! E realmente consegue manter-nos intrigados do princípio ao fim!! E o fim... é assim... :)

segunda-feira, abril 16

O Indie está aí...

Este ano não tenho tanto tempo para andar a cuscuvilhar bem tudo e escolher o que quero ver. De qualquer forma, já imprimi o programa e, antes que o festival passe sem eu dar por ele, vou já comprar bilhete para, pelo menos, uma sessão.
De uma primeira olhada rápida... escolhi este. Alinham? ;)

FAY GRIM


Hal Hartley



24 Abril, 21h45, S. Jorge 1

Dez anos depois de “Henry Fool”, Hal Hartley regressa à boa forma e à história de Fay Grim e de Ryan, o seu ex-marido em fuga e perseguido pela CIA. Agora Fay mora em Woodside, no bairro de Queens, em Nova Iorque. Ned tem catorze anos e vive com a mãe, o pai desapareceu há sete anos, depois de ter morto acidentalmente um vizinho. Desde então, Fay Grim tem de cuidar do filho sozinha, o que a tornou uma mãe obsessiva, que tenta que Ned nunca venha a ser como o pai...
Os momentos de humor, conjugados com o ritmo dos diálogos, confirmam que, apesar de tudo, o talento e a marca muito própria do trabalho de Hal Hartley não se perderam. E se, eventualmente, não viu “Henry Fool”, não se preocupe, pois apesar de FAY GRIM lhe dar continuidade, é também um filme que vale por si mesmo.


E mais?... ninguém recomenda aí, pelo menos, mais uma sessão, um realizador, um herói independente... ? :)

domingo, abril 15

enquanto a contagem decrescente não começa...




... até que não se trabalha mal... na varandinha da casa dos pais, com a radar a dar uso à aparelhagem da sala!!
..... Pelo menos enquanto eles não chegam a casa... eh eh eh!!

quinta-feira, abril 12

Fugas...

Adoro o espaço irreal para onde fugimos de vez em quando. Adoro o sentir, o cheirar, o ver, o tocar, o saborear, de toda a nossa irrealidade. Custa-me, ver-te partir da minha fantasia... no momento em que te tornas real.

You Can’t Always Get What You Want...



... é o que os Rolling Stones me estão a tocar, via iTunes, neste preciso momento em que escrevo, da minha casa nova. E foi o que eu pensei, quando a encontrei... não é a casa dos meus sonhos, é a casa que eu preciso. Isto porque andava, há mais de um ano, apaixonada por uma casa que ficava um bom bocado acima do meu orçamento. De repente, apareceu-me esta à frente dos olhos. Também um último andar, com vista para o rio, mesmo na rua onde já tenho o prazer de morar há, pelo menos 7 anos, com um preço dentro das minhas possibilidades, mas completamente destruída... ao contrário da outra, que já estava toda recuperada, completamente nova. Nesta decisão tomada rapidamente, e sozinha, só com o apoio das vizinhas locais, que não me queriam ver ir embora :), tive muitas dúvidas, achei que me ia arrepender, que não tinha tantas janelas como eu gostaria, que era pequena demais, que ia ser uma grande dor de cabeça... com obras grandes para fazer e tudo... enfim... MEDO! MEDO! MEDO!
No último fim de semana fiquei finalmente com a chave da casa e esta semana comecei timidamente a namorá-la, enquanto aguardava pelas visitas dos empreiteiros que estão a fazer os orçamentos das obras que quero fazer. Para poder andar por aqui, limpei-a toda, trouxe meia dúzia de coisas que me podiam dar jeito, umas frutinhas, umas guloseimas e fui ficando, cada dia, um bocado mais do que o anterior. E de repente, a mesma sensação que já tinha tido, na primeira casa que tive (arrendada)... ESTA É A MINHA CASA!! Um sentimento como se sempre tivesse morado aqui, pertencido aqui. Não há hipóteses de não SER FELIZ aqui!! Esta, é a casa que eu TINHA DE COMPRAR! E uma vontade de já não sair.....
Ontem, o concerto no Bairro Alto, foi a desculpa perfeita para ficar por aqui a dormir pela primeira vez. Abri o sofá-cama cor-de-laranja (que saudades que eu já tinha do meu sofá cor-de-laranja), desencaixotei um cobertor, uns lençóis (e o meu edredón?... onde é que tu andas, que não te encontro?), criei o ambiente com o meu candeeiro laranja, uma velinha, a música certa aqui no iTunes... enfim, preparei o cenário para a minha primeira noite, na minha casa. FOI PERFEITA!!! Foi tão bom acordar aqui, mesmo com os tectos, paredes e chão num estado desastroso... levantar a cabeça e ver o rio, os barcos, os aviões, a ponte... uma enorme perspectiva para o que vai ser a minha vida daqui para a frente...

A minha casa doente, que eu vou tratar, arranjar, transformar exactamente ao meu gosto, especialmente para mim!... É verdade, sem perceber, eu não tive só o que precisava, eu tive EXACTAMENTE AQUILO QUE QUERIA!!

E já fiz novas amizades, com o gato das traseiras, que me veio logo cumprimentar de manhã, e com a vizinha que, para a semana que vem, se muda com o namorado para a casa ao lado, a quem comecei já a pedir desculpas pelo barulho das obras... eh...coisa pouca, deitar abaixo umas paredes, mudar canalizações, instalações eléctricas... enfim, nem devem dar por isso!! :S Anyway, já está prometido um jantar para os compensar, no final de tudo.

No dia em que começarem as obras, assim que me decidir por um empreiteiro, começo a contagem decrescente aqui no blog... até ao dia em que vou poder voltar a dormir aqui. Ah... claro que não vou resistir a fazer uma experiência vídeota com a recuperação da minha casinha doente... a ver, no que dá... Até já, casinha... :)

quarta-feira, abril 11

Porque é que...

...não me apetece nada trabalhar?

segunda-feira, abril 9

A dar pontapés na rotina...

Um dia de decisões! Continuando a seguir o pensamento do dia de ontem, e embora o efeito da sangria já tenha passado e hoje não tenha acontecido ser Sábado, resolvi trocar um bocado as voltas ao que ultimamente tem sido a minha rotina diária. Assim, decidi que esta semana vou gazetear um bocadinho... Não vou pôr os pés no museu a não ser que seja estritamente necessário (a minha malta já passa bem sem mim :)) ; não vou aproveitar os bocadinhos livres para tratar de assuntos burocráticos (compra da casa, divórcio, mudança de sede da associação, mudança de moradas em bancos, finanças e afins...) e não vou passar tantas horas da minha semana na produtora das escritas da novela. Vou trabalhar mais de casa, ao meu ritmo, a ouvir as minhas músicas e aproveitar os bocados livres para passear num parque fixonice que há aqui por trás da casa dos meus pais. Não sei porquê... acho que esta semana me vai correr bem...

Ah... e vou rockar na 4ª feira à noite... quem é que alinha comigo?



oh yeahhh!!!

domingo, abril 8

pensamento do dia

life can be great if we just play along, without worrying too much

e assim, ignoro o estômago cheio, a pedir a preguiça do corpo e dedico-me a mais um episódio da minha tortura diária!!!!! As coisas dão-se... os projectos fazem-se... o tempo estica... amanhã ainda é sábado... e ainda me hei de divertir no processo..........................

acho que não devia ter bebido tanta sangria ao almoço....... :)

quinta-feira, abril 5

E se de repente vos perguntassem...

... Qual dos dois cartazes vos agride mais?



Pois... parece que não é esse que vai ter que ser retirado...

Ainda na ressaca da não ida aos 2 concertos...



duas opções para entrar bem na páscoa: 1. Seguir conselho CSS e fazer amor ao som Death from Above; 2. Experimentar aqui uma possível versão Karaoke desta mesma música :)...

Eu sei que a cena de fazer amor (mesmo esquizofrénico) é boa e tal... mas vão mesmo espreitar a versão das letras... eu, por aqui, já me diverti um bocado... eh eh eh! ;)

quarta-feira, abril 4

Elas andam por aí...


... e eu, snif, snif... nem vou dar por elas... snif, snif...